Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Quarto das Maravilhas

O poder das palavras em criar imagens memoráveis na descrição de cenas e personagens.

Quarto das Maravilhas

O poder das palavras em criar imagens memoráveis na descrição de cenas e personagens.

Tebas

Quarto das Maravilhas, 14.07.20

"... avistaram as primeiras casas de Tebas. Mênfis era bela, mas Tebas era mais. A cidade ganhara as suas obras mais importantes no reinado de Amen-hotep III, que ali construíra novos templos dedicados ao deus criador, Amon, à sua mulher, a deusa Mut, e ao seu filho, Khonsu. As suas construções erguiam-se sobre a margem esquerda do Nilo, emulduradas por uma grande alameda de palmeiras que formava um passeio entre rio e a cidade."

Thales Ferreira, O Homem que Falava com Deus 

E793A005-3830-4EF9-96E7-F6CB6E754217.jpeg

Ilustração reconstitui a cidade de Tebas no reinado de Ramsés II, cujo o reinado é o último da florescente época imperial: os Povos do Mar começam a ameaçar o Egito e Tebas passa por um período excessivamente confuso: o da sua decadência, num ritmo que, pode dizer-se, constantemente se acelera. 

"...movimentos de gata e expressão provocadora.

Quarto das Maravilhas, 14.07.20

...Fazia o coração dos espectadores confundir-se com o rufar dos tambores: girava o corpo numa dança delirante."

Thales Ferreira, O Homem que Falava com Deus 

Jasirah | International Gala Show of Isadora Cup 2016

““No início, a dança do ventre era um ritual sagrado, praticado por sacerdotisas em honra ao deus râ (Sol). Os movimentos dos braços eram inspirados nos animais, em especial o falcão, e o ventre permanecia exposto. A intenção não era seduzir, mas sim, exaltar as energias da criação no útero." 

Texto extraído em, ABRÃO, Ana Carla P.; PEDRÃO, Luiz J. A. A contribuição da dança do ventre para a educação corporal, saúde física e mental de mulheres que frequentam uma academia de ginástica e dança.

 

"... movimentos de serpente ao jogo dos quadris. (...)

Quarto das Maravilhas, 14.07.20

... movimentos cortantes e quadris diabólicos."

Thales Ferreira, O Homem que Falava com Deus  

Coreografia de Fleur Estelle Dance Company |Belly Dance Showcase. London, UK | 2015

A terminologia mais apropriada e utilizada para a dança nos países árabes é "Dança do Oriente". Foram os franceses que a batizaram de Dança do Ventre ou "Dança do Estomago". Para os americanos ela ficou conhecida como Belly Dance e entre os egípcios como Sharqê.

Texto extraído em, Dança do Ventre: Uma arte milenar, Glaucia La Regina (1998)

Víbora da areia e a Àspide

Quarto das Maravilhas, 13.07.20

"A víbora da areia de cor amarelo ocre, com manchas escuras sobre o dorso e duas protuberâncias sobre os olhos que lembravam pequenos chifres, era de aspecto mais maléfico. Igualmente temível era a áspide, capaz de erguer-se do solo com o seu corpo esguio, encarar o adversário e cuspir-lhe o veneno à distância. Ouvira falar também da víbora silvadora, com um metro e setenta de comprimento, corpo robusto que afina rapidamente para terminar numa ponta delgada, o dorso marcado por um mosaico de losangos negros e brancos, que devia o seu nome ao facto de emitir um aviso antes de partir para o ataque."

Thales Ferreira, O Homem que Falava com Deus (pág.52)

Víbora de las arenas

imagem de uma cobra, áspide

Shelomith

Quarto das Maravilhas, 23.06.20

"com olhos amendoados, pele acobreada, nariz atrevido e cabelos negros, fartos e encaracolados."

Thales Ferreira, O Homem que Falava com Deus

5b51775dfee103867d992ba3c6ce494a.jpg

Integra no elenco imaginário do leitor do livro "O Homem que Falava com Deus"